top of page
  • Foto do escritorRedação Europa

CPR: Citroën Rally Team quer recuperar pontos no Rali de Portugal

CPR: Citroën Rally Team otimista para o Rali de Portugal

O Rali de Portugal é a “grande festa dos ralis” a que o Citroën Rally Team não vai faltar, com objetivos bem definidos para José Pedro Fontes e Inês Ponte, aos comandos do C3 Rally2, preparado e assistido pela Sports & You.


A dupla Bicampeã de Portugal de ralis quer recuperar os pontos perdidos no inicio da temporada numa das mais exigentes provas pontuáveis para o Campeonato de Portugal de Ralis, a quarta e última em pisos de terra.


Organizada pelo Automóvel Clube de Portugal, a prova do CPR, estrutura-se ao longo da 1ª etapa da prova do mundial (WRC), com 9 Especiais (incluindo 1 SuperEspecial) que somam 129,84 quilómetros cronometrados, como parte de um percurso de 713,47 quilómetros.


Mantendo vivo o objetivo que é a luta pela conquista de um terceiro título de Portugal de Ralis, a popular dupla do C3 Rally2 pretende amealhar o maior número de pontos nesta prova, minimizando, assim, os resultados menos conseguidos nas anteriores duas jornadas do CPR 2024, para, a partir de Castelo Branco, apontar definitivamente às vitórias na fase de asfalto da competição portuguesa, um palco onde o modelo da Citroën tem demonstrado as suas valências.


Ultimando os reconhecimentos para o Rali de Portugal, José Pedro Fontes reconhece que “este é um rali que, ao longo dos últimos anos, não nos tem sido simpático, juntando-se o facto de que este início de época também não decorreu como previsto, nomeadamente com a desistência no Algarve e Aboboreira, que nos deixou bastante desapontados. Porém, temos de encarar estas dificuldades como algo próprio dos ralis e enfrentar a edição 2024 do Rali de Portugal com um espírito positivo, colocando plena confiança no trabalho realizado pelos técnicos da Sports & You, que nos prepararam o C3 Rally2, deixando-o apto a enfrentar esta difícil prova.”

CPR: Citroën Rally Team quer recuperar pontos no Rali de Portugal
“Quanto aos objetivos da equipa são simples: preservar o carro nos pisos mais duros e tentar, com essa estratégia, mantermo-nos nos lugares da frente, apontando a uma posição no pódio do CPR, e com isso amealhar o máximo de pontos para o campeonato, no conjunto dos troços que compõem a primeira etapa do rali, fase que conta para o CPR. É um rali com uma gestão completamente diferente dos ralis ‘sprint’ do restante CPR, que vamos tentar terminar sem problemas. A história deste rali diz que quem acaba sem nenhum percalço obtém um bom resultado”, acrescentou o piloto do C3 Rally2 que nesta prova, e ao contrário do que acontece nas restantes do CPR 2024, terá o n.º 44.

O objetivo da dupla portuguesa para a edição 2024 do Rali de Portugal é, assim, somar o máximo de pontos nos nove troços da 1ª Etapa, que conta para o CPR – a Super Especial da Figueira da Foz de quinta-feira (9 de maio) e a demolidora sequência Mortágua, Lousã, Góis e Arganil, na sexta-feira (10 de maio), troços de dupla passagem, num total de 129,84 quilómetros cronometrados.


Para o efeito, José Pedro Fontes deixa um repto a todos os que vão para a estrada seguir o Rali de Portugal:

“Gostaria de deixar um pedido aos nossos adeptos que são, sem sombra de dúvida, os melhores do mundo: vejam o rali em segurança, não originem situações que possam colocar em causa o normal desenrolar da prova e façam a festa longe do perigo, cuidando também das florestas. Façam parte da festa em segurança!”

O VODAFONE RALI DE PORTUGAL EM RESUMO*

Quarta prova do CPR 2024, o Vodafone Rali de Portugal, é também pontuável para o WRC 2024, nas suas diferentes categorias, correndo-se entre quinta-feira e domingo (9 a 12 de maio). Em termos de CPR contará apenas a sua 1ª Etapa (3 Secções), compreendendo 9 Especiais (1 SuperEspecial e 3 Especiais percorridas por duas vezes), que somam 129,84 quilómetros cronometrados, como parte de um percurso de 713,47 quilómetros.


Com quartel-general instalado na Exponor (Leça da Palmeira), iniciar-se-á com uma secção pré-competitiva que decorrerá na quinta-feira (9 de maio), com o Shakedown (08h01/12h30), que terá como palco o troço de Baltar (4,61 km). Pelas 17h00 desse mesmo dia terá início a 1ª Etapa e a primeira secção do rali, com a partida a ser dada em Coimbra, de onde os concorrentes rumarão até à Super Especial da Figueira da Foz (2,94 km, 19h05). Finda a mesma, a caravana regressará à Exponor, entrando as viaturas em Parque Fechado a partir das 19h15.


No dia seguinte (sexta-feira, 10 de maio) correm-se as segunda e terceira secções da 1ª Etapa. Os concorrentes vão para a estrada às 06h45 para uma dupla passagem pelos troços de Mortágua (18,15 km, 08h05 e 17h35), Lousã (12,28 km, 09h35 e 14h05), Góis (14,30 km, 10h35 e 15h05) e Arganil (18,72 km, 11h35 e 16h05). A segunda passagem por Arganil servirá de Power Stage em termos de CPR. Haverá um reabastecimento após cada troço, à exceção de Góis, e em Arganil um Reagrupamento (12h15/12h45) e uma Zona de Montagem de Pneus (12h45/13h00). No final da 1ª Etapa, já na Exponor, os concorrentes vão ao Parque de Assistência (20h15/21h04) antes do Parque Fechado (21h04). Completada esta 1ª Etapa, terminará o rali pontuável para o CPR 2024.

Comments


300.250.png
Pottenza Global Consulting
bottom of page