top of page
  • Foto do escritorRedação Europa

Situação sem precedentes na Itália leva Alfa Romeo a mudar nome do seu último lançamento de Milano para Junior


Na que foi uma das semanas mais importantes para o futuro da Alfa Romeo, um membro do Governo de Itália declarou que a utilização do nome "Milano" - escolhido pela Marca para o seu novo modelo desportivo compacto, recentemente revelado - é proibida por lei.

Favorito do público, o nome "Milano" foi escolhido para prestar homenagem à cidade onde a  história da marca começou em 1910. Não foi a primeira vez que a Alfa Romeo pediu a opinião do público para a escolha do nome de um automóvel. Já o tinha feito em 1966 com o Spider 1600, quando o nome escolhido pelo público foi Duetto.


Apesar de a Alfa Romeo acreditar que o nome cumpria todos os requisitos legais e que existem questões muito mais importantes do que o nome de um novo automóvel, a Alfa Romeo decidiu alterá-lo de "Milano" para "Alfa Romeo Junior" no espírito de promover a compreensão mútua.


Em comunicado, “a equipa da Alfa Romeo gostaria de agradecer ao público pelas reações positivas, à rede de concessionários italianos pelo seu apoio, aos jornalistas pela enorme atenção dos meios de comunicação social ao novo automóvel e ao Governo pela publicidade gratuita proporcionada por este debate.”

“Com um historial único e uma lista interminável de nomes por onde escolher, a alteração do nome não se revelou um problema. Foi, de facto, um prazer rever a lista de nomes selecionados como favoritos a partir das sugestões do público, um dos quais era "Alfa Romeo Junior".

Jean-Philippe Imparato – CEO da Alfa Romeo



"Estamos perfeitamente conscientes de que este momento ficará gravado na história da marca. É uma grande responsabilidade, mas ao mesmo tempo é um momento emocionante, já que desde o início, o nome estava entre os nossos favoritos e entre os favoritos do público. Como equipa, optámos, mais uma vez, por partilhar a nossa paixão pela marca e fazer do produto e dos nossos clientes a prioridade. Decidimos alterar o nome, apesar de sabermos que não somos obrigados a fazê-lo, porque queremos preservar a emoção positiva que os nossos produtos sempre geraram e evitar qualquer tipo de controvérsia. A atenção que recebemos nos últimos dias para o nosso novo modelo compacto desportivo é bastante entusiasmante, uma vez que tivemos um número sem precedentes de visitas ao configurador online, o que fez com que o website ficasse bloqueado durante algumas horas."

Stefano Odorici – Presidente da Associação de Concessionários Italianos da Alfa Romeo


"A Alfa Romeo é uma Marca inclusiva, que acolhe e gera paixão e emoções positivas. Podemos ver isso claramente quando olho nos olhos dos nossos clientes quando vêm ver, testar, comprar e levantar os automóveis Alfa Romeo nos nossos concessionários. Por esta razão, congratulamo-nos com a decisão tomada pela empresa de mudar o nome do automóvel de Milano para Alfa Romeo Junior, à luz das mais recentes notícias, que poderiam afetar o entusiasmo e a enorme atenção que o novo automóvel tem recebido dos nossos clientes nos últimos tempos. Alfa Romeo Junior, tal como Milano, são nomes bonitos que têm as suas raízes na história da Alfa Romeo. Não é por acaso que ficaram imediatamente entre os favoritos do público".

Origem do nome “Alfa Romeo Junior”

Após o sucesso do Giulia e da sua versão coupé Giulia Sprint GT, concebida por Giugiaro para a Bertone, a Alfa Romeo passou a ter como objetivo atrair um público mais jovem e mais recente, ávido de um automóvel brilhante e exclusivo, sem custos excessivos de aquisição e de operação.


A 26 de setembro de 1966, o GT 1300 Junior foi apresentado em Balocco e, apesar da ausência do nome "Giulia", tornou-se o líder de uma nova geração Alfa Romeo. De facto, as versões semelhantes da gama Spider seriam também identificadas com a referência Junior.


A principal variante mecânica é a adoção do motor de 1290 cc e dupla árvore de cames à cabeça, que - graças à fonte de alimentação única e à nova regulação das válvulas - debita 89 cv para uma velocidade máxima superior a 170 km/h, apenas ligeiramente inferior à do 1600, bem como o facto de poder proporcionar prestações e prazer de condução mais elevados. A carroçaria também foi atualizada com um acabamento dedicado e mais jovem.

Com vendas superiores a 92.000 unidades, o GT 1300 Junior tornou-se, rapidamente, no modelo mais vendido da gama e um verdadeiro símbolo de status da sua época.


Comentarios


300.250.png
Pottenza Global Consulting
bottom of page