top of page
  • Foto do escritorRedação Europa

Vendas de carros elétricos crescem três vezes mais rápido do que pontos de carregamento


Vendas de carros elétricos crescem três vezes mais rápido do que pontos de carregamento

Um novo relatório da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA) revela uma lacuna alarmante entre a atual disponibilidade de pontos de carregamento públicos para carros elétricos na União Europeia (EU) e o que será realmente necessário para cumprir as metas de redução de CO2.


As vendas de carros elétricos na UE cresceram três vezes mais rápido do que a instalação de pontos de carregamento entre 2017 e 2023, mostra o relatório da ACEA. Olhando para o futuro, a UE necessitará de oito vezes mais pontos de carregamento instalados anualmente até 2030, de acordo com estimativas da indústria.


“Precisamos da adoção em massa de carros elétricos em todos os países da UE para alcançar as ambiciosas metas de redução de CO2 da Europa. Isto não acontecerá sem a disponibilidade generalizada de infraestruturas públicas de carregamento em toda a região”, afirmou a Diretora Geral da ACEA, Sigrid de Vries.

“Estamos muito preocupados com o facto de a implantação da infraestrutura não ter acompanhado o ritmo das vendas de automóveis elétricos a bateria nos últimos anos. Além disso, esta “lacuna de infraestruturas” corre o risco de aumentar no futuro – numa extensão muito maior do que as estimativas da Comissão Europeia.”

No ano passado foram instalados pouco mais de 150 000 pontos de carregamento públicos em toda a UE (menos de 3 000 por semana, em média), atingindo um total de mais de 630 000.


De acordo com a Comissão Europeia, deverão ser instalados 3,5 milhões de pontos de carregamento até 2030. Alcançar esta meta significaria instalar cerca de 410.000 pontos de carregamento públicos por ano (ou quase 8.000 por semana) – quase três vezes a taxa de instalação anual mais recente.


No entanto, a ACEA estima que serão necessários 8,8 milhões de pontos de carregamento até 2030. Alcançar este valor exigiria a instalação de 1,2 milhões de carregadores por ano (ou mais de 22 000 por semana) – oito vezes a taxa de instalação anual mais recente.


“O acesso fácil a pontos de carregamento públicos não é ‘bom de ter’, mas sim uma condição essencial para descarbonizar o transporte rodoviário, para além do apoio ao mercado e de um quadro de produção competitivo na Europa. Os investimentos em infraestruturas públicas de carregamento devem ser urgentemente aumentados se quisermos colmatar a lacuna e cumprir as metas climáticas”, advertiu de Vries.

Comments


300.250.png
Pottenza Global Consulting
bottom of page